Bloody Mary: os melhores de São Paulo



A criação de um drinque levando suco de tomate temperado, vodca, limão, sal e pimenta gera controvérsias. Há quem garanta que a mistura surgiu em Paris, na década de 1920, no Harry’s Bar. Ou ainda na mesma cidade, mas no Ritz, para agradar ao escritor Ernest Hemingway. Outros defendem a autoria no balcão do Hotel Saint Regis, em Nova York. Uma lenda urbana, no entanto, garante que foi desenvolvido à época da proibitiva Lei Seca americana, para disfarçar tanto o cheiro quanto o gosto de álcool. Até mesmo um príncipe russo reivindicaria os créditos…


Independentemente da autoria, só décadas depois e a milhares de quilômetros de distância dos possíveis berços da bebida, eu descobri o Bloody Mary. Desde então, quase sempre ao lado do Bruno, eu busco os melhores drinques do tipo, de preferência para abrir uma refeição.


E é em São Paulo que acredito ter encontrado os melhores exemplares da mistura. Bem, até agora. Quem sabe eu ainda não vá percorrer o mundo à procura do Bloody Mary perfeito? Patrocínios no e-mail, por favor. Enquanto não arrumo as malas novamente, confira a lista.




Arturito





Conseguir uma mesa no badalado restaurante de Paola Carosella, uma das juradas do MasterChef Brasil, pode ser tarefa meio difícil. As reservas lotam com antecedência e mesmo chegando cedo uma pequena fila de espera é quase garantida. Não faz mal. Enquanto aguarda no salão, peça o saboroso Bloody Mary da casa. O de lá é levinho, pouco apimentado, mas bem temperado, e leva o aromático manjericão.





Rua Artur de Azedo, 542, Pinheiros, (11) 3063-4951




Ramona





Neste bar estilizado do centro de São Paulo, perto do Copan, da Love Story e da Praça Roosevelt, experimentei pela primeira vez um Bloody Mary bem diferente. Na casa ele leva duas fatias de bacon crocante. A inclusão desse ingrediente dá ao prato um sabor defumado e marcante. O melhor fica para o fim, quando a gente pode aproveitar o drinque também como petisco.





Avenida São Luís, 282, Centro, (11) 3258-6385




Spot





Colado à Avenida Paulista, o ponto turístico mais conhecido de SP, fica este restaurante modernete. Com pegada de diner americano, serve comida boa. farta e com preço condizente ao endereço nobre. Antes de comer, por exemplo, o delicioso steak poivre, peça o Bloody Mary com a vodca de sua escolha. A pimenta nele se destaca, mas não se sobressai, sinal de uma mistura muito bem feita. A apresentação é tradicional: bebida servida no copo de uísque, com gelo, talo de salsão, cebolinha em conserva e azeitona.





Alameda Ministro Rocha Azevedo, 72, na esquina da Avenida Paulista, (11) 3283-0946




Guarita





Recomendo sentar no balcão desta simpática casa em Pinheiros. Assim dá para ver o time de bartenders prepararem os drinques mais gostosos da noite paulistana, criados por Jean Ponce. Nesse camarote pude perceber que no delicioso Bloody Mary do local, o segredo parece ser uma mistura de temperos pronta de antemão. A fórmula secreta dá muito certo e o paladar não me engana: é boa demais. Ah, e ele vem com uma lasca de queijo parmesão. E quem falar “Agora só falta o macarrão” vai ganhar um copo de Catuaba sem gelo.





Rua Simão Álvares, 952, Pinheiros, (11) 3360-3651




Myk





Paris, Nova York, Moscou… Onde nasceu o Bloody Mary, muitos se perguntam? Bem, em Mykonos ou Atenas eu duvido muito que tenha sido. Por isso surpreende que esse ótimo restaurante de inspiração grega sirva, para mim, o melhor Bloody Mary do mundo. Em uma taça daquelas de martini, o líquido vermelho, temperado na medida, apimentado como deveria e em temperatura fresquinha ganha ainda um toque de mestre: sal negro do Chipre na borda. A vodca do drinque, chamado de Sale e Pepe, é a Belvedere.





Rua Peixoto Gomide, 1972, Jardins, (11) 2548-5391




Para ler bebendo, beber ouvindo, ouvir bebendo…










Crédito das imagens: ThePinsta, sites oficiais, Facebooks das casas e arquivo pessoal.