Drugstore – O Deus da carnificina, Girls e Rye Rye



O Loz Engelis inaugura mais um empreendimento. Curto e nada grosso. Na nossa farmácia entra de tudo. Não precisa de receita. São pílulas de efeito imediato sobre tudo o que der na telha. Pode ser o hit do momento, aquele livro empoeirado, o filme bem velhinho e o seriado recém descoberto. Aprecie sem moderação.




Cinema – O Deus da carnificina





Roman Polanski enfrenta uma batalha na justiça desde o fim da década de 1970, quando foi acusado de estuprar uma menina de 13 anos. O cineasta franco-polonês saiu fugido dos Estados Unidos, foi para a França, e nunca mais pisou na terra do Tio Sam, nem mesmo para receber o Oscar por O pianista. Em 2009, Polanski foi preso na Suíça e encarcerado em sua casa de Gstaad por pouco mais de um ano. Em seu filme mais recente, O Deus da carnificina (2011), baseado em peça de Yasmina Reza, é curioso perceber a similaridade entre a fita e a vida do próprio cineasta nesses últimos tempos. A princípio uma comédia de costumes e situações, a fita alcança tons claustrofóbicos ao contar a história de dois casais que tentam descobrir quem seria o culpado na briga inocente entre os filhos pré-adolescentes.





A ação acontece em apenas um ambiente e em tempo real. A partir do conflito das crianças, quatro adultos discutem suas diferenças. A cordialidade dá lugar a grosseria, a fala mansa aos gritos e verdades vêm à tona de maneira leve e singular. O elenco cinco estrelas – Jodie Foster, Kate Winslet, Christoph Waltz e John C. Reilly – dá um tempo nos fortes dramas e entrega interpretações surpreendentemente cômicas. Afinal, engraçado mesmo é aquele que não sabe que está fazendo graça.










TV – Girls





Quatro mulheres buscam amor, sexo e sucesso profissional em Nova York. Se você não viveu em uma bolha nos últimos 15 anos reconhece facilmente esse mote como o do seriado Sex and the city. Agora tire dessa equação as roupas Dolce & Gabbana, os sapatos Manolo Blahnik, os homens bem sucedidos, os amantes bons de cama e taças e mais taças de Cosmopolitan. Taí mais ou menos a fórmula de Girls, nova série da HBO que encerrou sua primeira temporada recentemente. O slogan da comédia, Vivendo o sonho um erro de cada vez, traduz fielmente as agruras de quatro amigas em seus vinte e poucos anos a procura de um sentido para a vida.





A criadora da empreitada, Lena Dunham, 26, escreve, estrela e até dirige alguns episódios. Em Girls ela é Hannah, uma aspirante a escritora ligeiramente acima do peso. Logo na primeira cena do piloto, Hannah, em um jantar com os pais, descobre que vai ter que se virar sozinha para se sustentar na cidade grande. Ao lado da amiga e roommate Marnie (Allison Williams), da inglesa descolada Jessa (Jemima Kirke) e da reprimida Shoshanna (Zosia Mamet), ela vai descobrindo aos poucos que ser adulto não tá com nada.










Música – Rye Rye





Em matéria de gangsta, quem foi educado com Lil’ Kim não se rende a Nicki Minaj. Nada contra a psicodelia multicolorida da maluquete, mas onde foram parar aquelas garotas com pinta de bad ass? A novata Rye Rye surge na cena como a promessa de um novo começo no quesito TÁ MALUCO MERMÃO, EU SOU DO GUETO, EU SOU MALUCA, NÃO ME CHIFRA QUE EU TACO FOGO NO TEU CARRO E FICO RINDO NA ESQUINA.





Protégée de M.I.A., musicalmente a moça não cai nem para o minha xoxota tá ardendo, nem pro a pobreza no Brooklin é coisa de louco e prefere investir em visual ligeiramente exótico aliado a vocais rápidos como uma arma. Em Go! Pop! Bang!, primeiro lançamento fonográfico, Ryeisha Berrain (quer um nome mais incrível que esse?), a Rye Rye, se aliou a madrinha em Sunshine, a sueca Robyn com o mela cueca Never will be mine e em Boom boom sampleou adivinha quem? OS VENGABOYS. Ganhou meu respeito pra todo o sempre depois dessa. Espero que a Willow Smith fique assim quando crescer.






Hardcore girls



Sunshine, com participação de M.I.A.



Never will be mine, com participação de Robyn



Boom boom



Dance




Crédito das imagens: Movie Blogbuster, Daily Film Dose, Collider.com, We eat films, Boston.com, Rick’s Cinema, Women of hip hop, Societé Perrier e Nu-Soul Magazine.

Esse post foi publicado em Cinema, Drugstore, Música, TV e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s