Uma câmera na mão e um pé na passarela

Se no campo literário eu sou um devorador de biografias, seguindo a mesma linha, no mundo do cinema eu também sou um grande fã de documentários. Porém, muitos deles nem sequer chegam à telona, indo direto para DVD ou, na pior das hipóteses, para a televisão, coisa que eu não tenho mais paciência de assistir. Felizmente a internet está aí para fazer a felicidade geral da nação. Navegando por sites de trailers (outra paixão minha), encontrei três novos filmes do gênero, estes com a moda como tema principal.


Vidal Sassoon: How one man changed the world with a pair of scissors





A trajetória de Vidal Sassoon, um dos mais conhecidos hairdressers de todos os tempos, é o tema do documentário homônimo. Ele foi o responsável por revolucionar os cortes de cabelo da mulherada nos anos 1960 e 1970, investindo em cortes com simetria e toques ousados. É dele, por exemplo, o copiado look curtíssimo e andrógino que Mia Farrow desfilou em O bebê de Rosemary (1968). Aos poucos, Sassoon acabou se transformando não apenas em referência na moda, mas também no mundo dos negócios com uma série de produtos e sociedades bem sucedidas.



Vidal Sassoon e a criadora da minissaia, Mary Quant



O imitado cabelo de Mia Farrow



Sassoon atualmente





Sassoon está para os cuidados com o cabelo assim como Picasso está para a pintura“, Peggy Moffitt, supermodelo das antigas.


Dressed





Dressed mostra as dificuldades de Nary Manivong, um jovem estilista autodidata de origem humilde, para tentar emplacar uma coleção na concorrida semana de moda de Nova York. A fita traça um panorama da competitiva selva fashionista e tece análise sobre a importância do segmento e as chances que este apresenta aos iniciantes e despadrinhados.



O estilista Nary Manivong





Picture me





Picture me desfaz o glamour das passarelas e exemplifica o trabalho duro e quase escravo das modelos em início de carreira. Em formato de diário televisionado, a película viaja pelo cotidiano dessas meninas e pelos embates profissionais e pessoais que elas se deparam em suas jornadas. O documentário é estrelado e dirigido pela modelo Sara Ziff em parceria com Ole Schell.



Sara Ziff modelando





Vale lembrar que nos últimos tempos a produção cinematográfica tem se dedicado cada vez mais a retratar, seja de maneira ficcional ou documental, o universo da moda. É o caso de filmes como Coco antes de Chanel (2009), de Anne Fontaine, sobre a vida de Gabrielle Chanel antes da consagração; O louco amor de Yves Saint Laurent (2010), de Pierre Thoretton, que retrata a relação do estilista com seu marido, Pierre Bergé; The september issue (2009), de R.J. Cutler, documentário sobre a criação da edição de setembro da Vogue (já falei sobre ele aqui) e A single man (não, não vou chamar de Direito de amar porque travesti não é bagunça e isso não é novela das seis), que, apesar de não tratar diretamente sobre moda, revelou, há dois anos, o nome do estilista Tom Ford na direção de cinema em estreia aclamada.


Coco antes de Chanel








O louco amor de Yves Saint Laurent








A single man








Outro bom exemplo, este um pouco mais antiguinho, é Prêt-à-porter (1994), de Robert Altman, que reúne um elenco com estrelas do porte de Sophia Loren, Lauren Bacall, Julia Roberts e o saudoso Marcello Mastroianni. O cenário é a semana de moda de Paris e, como já era de praxe com Altman, muitas cenas rolaram na base do improviso. Kim Basinger, que vive uma repórter na película, foi uma das que quase foi à loucura durante as gravações com clima de documentário. Climão.





Anúncios
Esse post foi publicado em Arte, Cinema, Moda e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Uma câmera na mão e um pé na passarela

  1. camila disse:

    mas por que single man está na lista?
    besitos

  2. Só tava relacionando outros lançamentos cinematográficos que também tem a ver com moda. “Single man” é do fofura Tom Ford e mereceu a citação (apesar de eu ainda não o ter assistido, shame on me).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s