Eterna mutante

Classificar Rita Lee como a ovelha negra da música brasileira, referência à música homônima de 1975, já virou clichê mais batido do que bunda de sapo. Achar outras adjetivos para a tiazona do rock ‘n’ roll brazuca não é difícil. Poderíamos classificá-la como uma mistura de David Bowie, Mick Jagger, Caetano Veloso, Serguei e até mesmo Madonna, por exemplo. Mas ela dispensa apresentações e principalmente comparações. O que ninguém pode discutir é que Rita Lee sintetiza rebeldia, estilo e muito talento, tudo isso reunido em mais de 40 anos de estrada.





Santa Rita de Sampa, the one and only, estará em Brasília no próximo dia 12 de dezembro, sábado, em apresentação única no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. O show faz parte do mais recente lançamento de Rita, o projeto Pic Nic, cujo CD e DVD que registram a empreitada levam a assinatura do canal a cabo Multishow. A direção musical é do maridão e guitarrista, Roberto de Carvalho. Além dele, o filho de Rita, Beto Lee, também faz parte da banda.





Sem medo de remexer o baú do passado e subvertê-lo como bem quer, Rita Lee investe em um repertório que mescla diversas fases de sua carreira em roupagem completamente nova. Bwana vira Obama, em homenagem ao novo dono do mundo, Barack, e I wanna hold your hand, dos Beatles, ganha versão meio pé de serra intitulada O bode e a cabra. Além disso, hits como Doce vampiro, Baby, da época d’Os Mutantes e, obviamente, Ovelha negra, prometem fazer o público se arrepiar.





Meu caso de amor com Rita Lee começou por acaso e um pouquinho tarde, diga-se de passagem. Ela era uma daquelas artistas pela qual eu nutria uma afeição gratuita, mas sempre a escutava de canto de ouvido, por engano, um elevador aqui, uma zapeada de canal acolá. Um belo dia resolvi mudar. Sim, também tenho a mania de me expressar por letras de música.

Meio de caso pensado e cheio de segundas intenções, presenteei minha mãe com um box de DVDs sobre a vida de Rita chamado Biograffiti. Em três volumes, o DVD mistura entrevistas (algo raro, já que Rita Lee só conversa com a imprensa via e-mail para evitar possíveis maus entendidos de interpretação), imagens de arquivo e registros ao vivo de um show de 2006. Pitando um cigarro atrás do outro, ela esbanja atitude discorrendo sobre vários assuntos, entre eles a trajetória com Os Mutantes nas décadas de 1960 e 1970; o período hardore de entorpecentes e muita birita e a inevitável dobradinha envelhecer/amadurecer.





Movido pela curiosidade, recorri ao livro Rita Lee mora ao lado, espécie de biografia romanceada da cantora escrita por Henrique Bartsch. Na obra, uma vizinha imaginária de Rita, Bárbara Farniente, conta sua história de vida permeada sempre pela presença do furacão ruivo da música brasileira. Os fatos são reais com diversas pitadas de especulação e achismos. Fica a vontade de um dia ler e reler as histórias reais da verdadeira Rita. Tiazona, agora vovó da Ziza, se um dia passares por aqui em seu surfe internético, fica a dica, ok?





Encerrando a transmissão, deixo vocês, leitores, com o registro de Lança perfume retirado do DVD Rita Lee Jones, especial da Globo do início dos anos 1980. Tá na minha wish list de Natal, viu? Aguardo.





SHOW RITA LEE
Dia 12 de dezembro, sábado, às 22h30, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Vendas na Central de Ingressos do Brasília Shopping. Valores: VIP, R$ 200 e R$ 100 (meia); VIP lateral, R$ 180 e R$ 90 (meia); Especial, R$ 160 e R$ 80 (meia) e Superior/Mezanino, R$ 120 e R$ 60 (meia). IMPORTANTE: Além de assistir o show da grande dama do rock brazuca, você também pode fazer parte de uma ação social. Ao adquirir um bilhete da Apae Noel, projeto da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, por módicos R$ 5, você ganha 50% de desconto (valor de inteira) para o show. Serão sorteados três carros, um notebook e uma TV. O bilhete da Apae Noel poderá ser adquirido também na Central de Ingressos do Brasília Shopping.


BIOGRAFFITI
Box com três DVDs sobre a trajetória de Rita Lee. Biscoito fino. Também vendido separadamente nos volumes Ovelha negra, Cor de rosa choque e Baila comigo.


RITA LEE MORA AO LADO
De Henrique Bartsch (2006). 1ª Edição. Panda Books. 256 páginas.


RITA LEE – MULTISHOW AO VIVO
DVD com registro do show Pic Nic. 88 minutos. Biscoito Fino.
CD com 20 faixas ao vivo. Biscoito fino.


RITA LEE JONES
DVD da série Grandes nomes Rede Globo. Trama.

Anúncios
Esse post foi publicado em Música, Show e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s